Como acalmar o bebê?

By Dayane Dos Anjos | Primeiros dias

O pós-parto é uma fase muito intensa da vida da mãe,  o bebê requer a atenção dela em vários momentos do dia, ou melhor, o dia todo. Não sobra muito tempo para ela e às vezes nem dá para tirar o pijama. Quem já é mãe sabe bem do que estou falando.

A criança nasce muito frágil e dependente dos adultos para praticamente tudo. O choro é a única maneira de comunicação que eles têm, e só fazem isso quando realmente precisam de algo, seja por fome, sede, ou simplesmente por querer colo, aconchego ou um abraço. É importante dizer que nos primeiros 6 meses, eles não fazem manha ou tentam nos manipular, porque ainda são muito imaturos para fazer isso, neurologicamente falando.

E você já percebeu que alguns bebês de outros animais já nascem sabendo até andar? E nós humanos que somos tão evoluídos, temos filhotes tão frágeis e dependentes? É… esse é o preço que pagamos por sermos os mais evoluídos do pedaço 🙂

Para que os nossos bebês nascessem com o cérebro mais desenvolvido, e com isso fossem mais independentes, a gestação precisaria durar 12 meses e não 9, mas se isso acontecesse, eles ficariam grandes demais para o corpo da mulher comportar e também para poder nascer de parto normal.

A teoria da extero-gestação fala exatamente disso, de como o bebê nasce imaturo e de como seria importante que ele voltasse para o útero sempre que sentisse necessidade, e de como podemos trazer para ele esse conforto e aconchego que tinha no útero para a vida aqui fora. Assim esse início de vida seria mais prazeroso e tranquilo para pais e filhos.

Para isso é importante pensar em tudo o que o bebê tinha à disposição enquanto estava na barriga da mãe. Lá dentro era muito apertadinho e barulhento. Você lembra do som que ouviu no ultrassom? Então, ele ouvia isso dia e noite! Pode lhe parecer estranho, mas o bebê era acostumado com isso e adorava, esse som o mantinha calmo.

E pode parecer monótono, mas não era. Na verdade, tinha um certo agito. Quando a mamãe dançava, caminha ou simplesmente se mexia, tudo lá dentro mexia também, num balanço muito agradável para ele.

A alimentação? Ah… essa vinha a todo momento, sem tempo, sem horas, sem relógios. Ele tinha sua mamãe só para ele, sempre! Até pareciam um só. E curtindo tudo isso ele levava suas mãozinhas até sua boquinha para sugar.É, a vida lá dentro era uma maravilha 🙂

Aí, quando ele nasce, tudo muda. De um minuto para o outro fica mais silencioso, espaçoso, tranquilo demais para alguém que tinha um estilo de vida bem diferente. Por isso, a teoria da extero-gestação mostra os passos para trazer para os bebês essas sensações do útero para a vida aqui fora, assim ele se sente seguro e se mantém tranquilo. Vale a pena testar!

Existe vários motivos para um bebê chorar. Se você está certa de que não é fome, porque já ofereceu o seio e ele não aceitou, e também não é a fralda, pode aplicar a técnica que vou explicar agora, para acalmá-lo, e é muito provável que vá dar certo.

Os passos são os seguintes de como acalmar o bebê: enrole o bebê no cueiro, bem apertadinho, inclusive com as mãozinhas para dentro. De início pode parecer que eles não gostam porque se mexem muito, mas se você fizer o teste vai perceber que isso os mantém muito tranquilos. Digo por experiência. 😉

Depois pegue ele no colo e faça um som alto e constante com a boca como um: “shhhhhhh” ou use um aplicativo de celular com sons de: carro, útero materno, ventilador ou secador de cabelo, por exemplo. Ainda no colo, deixe-o de lado, chacoalhando o bebê com movimentos suaves. Por último, ofereça seu dedo (bem limpinho) para o bebê sugar.

Ah! Claro que um colinho substitui facilmente tudo isso, e é muito mais gostoso. O Sling pode ajudar bastante, mas há momentos do dia em que por mais delicioso que isso seja, não podemos ficar disponíveis por tempo integral, e nestes momentos essa técnica é muito válida.

Veja o vídeo que fiz explicando como tudo isso pode ser feito 🙂

Dayane Dos Anjos

Dayane Dos Anjos

Sou mãe, fotógrafa especializada em Gestantes e Newborn, Consultora em Amamentação e apaixonada pelos primeiros dias de vida do bebê.